investimentos em fundos de investimento

Fundo de investimento: saiba onde investir em 2023

Podemos notar que este ano entrou de maneira nebulosa, tanto na economia local quanto na estrangeira. Com essa instabilidade — e que tende a se perpetuar por bastante tempo ainda — é fundamental encontrar o lugar certo para investir. Neste cenário os fundos de investimentos são uma ótima alternativa de onde investir em 2023.

Com o desenvolvimento da modernidade nos últimos tempos, temos percebido o quanto a informação está cada vez mais acessível. Basta alguns cliques no notebook ou no celular para encontrarmos dados e conteúdos relacionados à demanda que necessitamos como, por exemplo, onde investir em 2023.

Dessa forma, não é incomum perceber as possibilidades para rentabilizar ainda mais — além do próprio trabalho laboral — e assim, passar a aumentar ainda mais os bens e patrimônios. Logo, o mercado financeiro é um ótimo passo para começar a fazer seu dinheiro trabalhar para você — sobretudo para diversificar o seu fundo de investimento.

Podemos notar que o ano de 2023 entrou de maneira nebulosa, tanto na economia local quanto na estrangeira. Com essa instabilidade — e que tende a se perpetuar por bastante tempo ainda — é fundamental encontrar o lugar certo para investir.

Quer saber mais sobre o assunto? Então continue lendo o nosso post e saiba por onde começar a investir em 2023 para obter ainda mais lucro.

Afinal, você sabe o que significa Fundo de Investimento?

Em geral, podemos definir que um fundo de investimento nada mais é do que um veículo financeiro que reúne dinheiro de vários investidores para aplicar em ativos financeiros. Esses ativos podem ser ações, títulos públicos, imóveis e outros.

Assim, entendemos que o principal objetivo é proporcionar aos investidores um retorno financeiro através da valorização desses ativos. Além disso, o desempenho do fundo é medido pelo seu valor patrimonial (NAV, na sigla em inglês), que é calculado diariamente. Os investidores podem comprar e vender cotas do fundo, e o dinheiro é gerenciado por profissionais especializados.

O que devemos considerar antes de sabermos onde investir?

Antes de tudo, para saber de fato onde começar a investir, primeiramente é necessário entender o seu perfil de investidor. Em geral, o perfil de investidor é uma avaliação de comportamento, objetivos e capacidade de suportar riscos. Basicamente, é um processo que tende a ser utilizado para ajudar os investidores a entender qual tipo de investimento é mais adequado para suas necessidades e objetivos.

Existem geralmente três tipos de perfil de investidor: conservador, moderado e agressivo. Vamos analisar melhor cada um desses perfis abaixo:

1. Investidor conservador: prefere investimentos com menor risco e menor volatilidade, como títulos públicos, renda fixa e fundos de renda fixa. Eles têm como prioridade preservar o capital e não estão dispostos a correr muitos riscos.

2. Investidor moderado: está disposto a correr um pouco mais de risco em busca de retornos maiores, mas ainda deseja uma certa estabilidade. Eles geralmente investem em uma mistura de renda fixa e renda variável, como ações, fundos multimercado e fundos de ações.

3. Investidor agressivo: está disposto a correr muito risco em busca de retornos mais elevados. Eles geralmente investem em ações, fundos de ações, fundos imobiliários e outros investimentos de alto risco.

É importante notar que o perfil de investidor pode mudar com o tempo, dependendo da situação financeira, objetivos e necessidade de cada indivíduo. É recomendável que os investidores façam uma avaliação periódica de seu perfil e ajustem sua carteira de acordo.

Onde começar a investir em 2023?

Agora que você já sabe o conceito e a importância do Fundo de Investimento, percebe que é importante mantê-lo sempre diversificado. No entanto, essa diversificação precisa ser estratégica, uma vez que o mercado se encontra instável.

Por esse motivo, vamos te mostrar os principais lugares para começar a investir neste ano. Confira abaixo as principais indicações:

1. Tesouro IPCA+

Primeiro de tudo, o Tesouro IPCA é um tipo de título público emitido pelo governo brasileiro e negociado na Bolsa de Valores. A rentabilidade desse título é atrelada à variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial no país.

Isso significa que a rentabilidade do Tesouro IPCA é composta pela taxa de juros fixa mais a variação do IPCA. Além disso, o Tesouro IPCA é considerado uma opção de investimento conservadora, uma vez que sua rentabilidade é garantida pelo governo e é indexada à inflação.

De acordo com informações divulgadas pelo Exame, os títulos Tesuro IPCA+ seguem extremamente atrativos. Além disso, os próprios analistas do Banco Santander indicam esse título com vencimento de até 2035.

2. Fundos multimercado

Os fundos multimercado são tipos fundos de investimento que têm como objetivo principal proporcionar aos investidores uma carteira diversificada de ativos financeiros, incluindo ações, títulos públicos, câmbio, renda fixa, imóveis e outros.

Eles são geridos por um gestor profissional, que tem a liberdade de alocar o dinheiro do fundo em diferentes mercados e ativos, visando maximizar o retorno e minimizar o risco. Além disso, os fundos multimercado têm uma maior flexibilidade para investirmos em diferentes ativos e mercados, comparado com outros tipos de fundos.

No entanto, eles também tendem a ter uma volatilidade maior e podem ser mais arriscados do que os fundos de renda fixa. Por esse motivo, é crucial que o investidor, nesse caso, já tenha uma experiência de mercado relevante para não evitar ao máximo perder dinheiro.

De acordo com a mesma matéria publicada no site do Exame, os Fundos de Investimento continuarão sendo coringas em 2023, uma vez que abrem potencial para realizar a captura de tanto o fechamento das taxas de juros quanto a exposição em ações, além dos respectivos movimentos de câmbio.

Sem contar que os fundos multimercado já lideram o ranking de um dos melhores investimentos com retorno desde o ano de 2016.

3. Ações Small Caps

Em suma, ações Small Caps são ações de empresas com valor de mercado relativamente pequeno, geralmente abaixo de 1 bilhão de dólares. Em geral, elas são emitidas por empresas menores e mais novas, que geralmente têm menos histórico de desempenho e menor liquidez do que as grandes empresas.

Devido a essas características, as ações Small Caps tendem a ser mais arriscadas do que as ações de grandes empresas, mas também podem oferecer maiores oportunidades de crescimento e retorno. Porém, é importante observar que esses ativos são considerados mais voláteis e os investimentos neles possuem maiores riscos.

É importante que os investidores façam uma análise detalhada, e principalmente, considerando seus objetivos e perfil antes de investir em ações Small Caps.

4. Ações de empresas defensivas

Caso você não saiba, as ações de empresas defensivas são aquelas emitidas por empresas cujas atividades e fluxo de caixa não estão diretamente relacionadas às oscilações da economia.

Dessa forma, elas tendem a ser chamadas de “defensivas” porque seus resultados financeiros geralmente são menos afetados pelas crises econômicas ou recessões. Essas empresas geralmente fornecem bens e serviços essenciais, como alimentos, medicamentos, água e energia, e possuem receitas e lucros estáveis ao longo do tempo.

Assim, as ações de empresas defensivas tendem a ser menos voláteis e oferecem menor risco do que as ações de empresas cíclicas, como as ligadas ao setor de construção civil, automotivo e turismo. Na mesma pesquisa, foram consideradas algumas apostas eficientes em ações de empresas defensivas, como por exemplo:

4.1. Klabin (KLBN4)

Essa ação tem cerca de 123 anos de vida e ainda já passou por diversas crises econômicas. Por esse motivo, ela é bem vista aos olhos dos bons investidores.

4.2. Vulcabrás (VULC3)

Caso você não saiba, esse tipo de ação tem caixa livre. Logo, mesmo que percebamos que os juros sejam altos e, de certa forma, acabem influenciando o processo de consumo no Brasil, gestores apostam que ela está bem protegida — sobretudo pelo fato dessa ação ser considerada maior que o Nike e Adidas.

5. Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um tipo de título público emitido pelo governo brasileiro e negociado na Bolsa de Valores. A rentabilidade desse título é atrelada à taxa Selic, que é a taxa básica de juros da economia brasileira.

Isso significa que a rentabilidade do Tesouro Selic é composta somente pela taxa Selic. O Tesouro Selic é considerado um investimento de renda fixa de baixo risco, pois sua rentabilidade é garantida pelo governo. Ele é indicado para quem busca segurança e previsibilidade no retorno. Além disso, é um investimento bastante líquido, ou seja, é fácil de comprar e vender.

6. Fundos imobiliários

Por fim, os fundos imobiliários são fundos de investimento que aplicam o dinheiro dos cotistas em imóveis, como prédios comerciais, shoppings centers, galpões industriais, entre outros.

Esses fundos visam proporcionar aos investidores rendimentos através da valorização dos imóveis e dos aluguéis recebidos. Além disso, os fundos imobiliários são considerados investimentos de renda variável, pois a rentabilidade é baseada na variação do valor dos imóveis e das receitas advindas dos aluguéis.

Esses fundos são indicados para investidores que buscam diversificação em sua carteira, pois o setor imobiliário tem uma performance diferente dos demais setores da economia. No entanto, é importante notar que esses fundos podem ser mais complexos e possuem riscos associados, como a variação do mercado imobiliário e a dificuldade de valorização de alguns imóveis.

Conclusão

Conforme vimos, existem inúmeras maneiras de buscar um melhor lugar para começar a investir. Por esse motivo, atente-se às dicas citadas acima para começar 2023 investindo do jeito certo, e sobretudo, com segurança.

Deseja saber mais sobre o assunto? Visite o nosso blog e confira outros conteúdos relacionados.

Facebook
Twitter
LinkedIn